Já lá vai um mês e meio, que fiz mais dois furos numa orelha.


Apeteceu-me num dia, no dia seguinte já tinha a orelha furada.
Furei, com o intuito de pôr umas argolinhas pequeninas, nas novas aquisições, mas não encontrava o que pretendia em lado nenhum.
Nesta semana, lá convenci a a mãe Coelha, a vir comigo a uma ourivesaria (já em acto de desespero por não encontrar o que idealizava) mesmo aqui ao lado de casa.
Não tinha bem o que eu queria, mas já andava lá perto.
Comprei dois pares de argolas em prata, umas pequeninas e outras maiores.
A minha mãe não muito contente, chateou-me durante largos minutos, a questionar-me se aquilo me iria ficar realmente bem, mas já estava com um ar de verdadeira conformação.
Tirei os brincos com que furei, e comecei a tentar pôr as argolas, mas não estava a conseguir.
Pedi ajuda à minha rica progenitora, mas visto a ela não ser propriamente, a pessoa mais delicada do mundo, pôs-me a orelha toda ensanguentada.
Comecei a gritar, para quem quisesse ouvir, porque aquela porcaria estava-me a doer imenso. Até que a minha mãe, me interrompe a gritaria, com mais uma das suas conclusões moralistas típicas.


M: Olha lá… Lembras-te, quando furas-te as orelhas a primeira vez?
Coelha: Lembro porquê?
M: Tinhas para aí, 10 anos e disseste-me que querias, e eu lá te fiz a vontade, levando-te a uma ourivesaria.
Coelha: E?
M: Lembras-te, o tempo, que essa porcaria demorou a cicatrizar?
Coelha: Não!
M: Pois mas lembro-me eu! Porque era eu, que tinha de me preocupar, em te desinfectar isso! Andas-te com essa treta infeccionada, imenso tempo!
Coelha: Deve ter sido…
M: Depois de teres passado a idade da estupidez… É que te lembras em te meter noutra dessas?
Coelha: Olha apeteceu-me… Mas está-me a doer!!
M: Tu gostas de sofrer não é?, és do género masoquista! Então agora!, trata-te!

Pois, parece que a minha mãe tem razão, eu tenho umas tendências masoquistas realmente…
Não sei porquê, não deixo esta minha faceta auto-destrutiva para trás!, é que já irrita!


Mas cá para nós, que ninguém nos ouve, os meus furinhos até estão fofos, não me parece é que vá andar muito tempo com eles… Mas até me fartar vou andar contente.

Histeria familiar/das orelhas

Coelha*

4 Não reclamas?:

DoceSussurro disse...
22 de maio de 2010 às 23:53

E num doeu a furar?...

:)

Beijinho*

Bomboca do Amor disse...
23 de maio de 2010 às 15:05

Quando fiz os furos em pequenina, na orelha esquerda tive que furar sete vezes, até que à sétima cicatrizou, aos catorze anos decidi fazer um segundo furo e correu bem, apesar de toda a teoria que a minha mãe me deu e do raspanete do meu pai! Beijinhos,
Bomboca do Amor.

guida disse...
23 de maio de 2010 às 17:41

Quando fiz um piercing no ouvido, estava mais preocupada com o facto de me partirem a cartilagem do que propriamente com a dor. Então imagina, a gaja dizer-me que seria a primeira vez que furava a orelha...
Vá lá, correu bem.
Compreendo bem a tua dor! Nunca fui de argolas, mas confesso que não te fica nada mal!

beijo

Só Avulso disse...
25 de maio de 2010 às 22:13

Lol a história repete-se! Espero que por agora já esteja melhor e até que ficou bem giro. ;)

Back to Home Back to Top