Ontem lá me encontrei com o meu grande amigo para pôr a conversa em dia.
Falamos da vida e principalmente nas perspectivas relativamente ao futuro. Mas a conversa lá acabou no assunto, que não é muito aconselhável a quem não gosta de se chatear – Relações.
Depois da conversa que tivemos à cerca desse tema tenebroso (que actualmente me irrita), através das queixas de ambos em relação a esse assunto, depois dos tamanhos desabafos que me fizeram lembrar os tempos antigos, em que ficávamos à porta de minha casa a falar da vida horas a fio, enquanto eu fumava um cigarro e ele me criticavas vezes sem fim (e posteriormente ganhou esse vicio, a prova como as pessoas mudam), só pude chegar a uma conclusão…

Relações = Palhaçada

E essa é a verdade! Eu sei disso. E no fundo todos sabemos, mas preferimos tentar acreditar que não.
Ele fez-me pensar profundamente numa coisa que me disse “Sabes quando estás com uma pessoa e apesar de saberes que até gostas dela, tens a certeza que não vais, nem queres ficar ali para sempre? É diferente de sentires que «aquela» pessoa é o amor da tua vida!”.
A verdade é que sei perfeitamente do que ele fala, e se isto não é palhaçada então é o quê?
Já saboreei estes dois tipos de sensações.

-O querer ficar, mas saber que não vou querer sempre./ E o querer ficar e sentir, que o queria e desejava mais que tudo.
Mas a verdade é que estou sozinha. Não tenho a quem dizer um “Amo-te” com sentimento, não tenho ninguém com quem partilhar as minhas vontades e sonhos mais secretos, não tenho ninguém que represente o porto seguro, que é o saber “Eu sei que ele está ali!”.
Os sentimentos desgastam-se. Fazemos merda atrás de merda. E só depois é que nos damos conta disso. Como se as atitudes repreensíveis não pertencessem a nós próprios e como se fossemos meros espectadores dos nossos actos desonradores, relativamente ao que sentimos e o que acreditamos.
Tudo passa e voa com o tempo… Nada é como esperamos ser. E o que é bom não dura mesmo para sempre.
E agora vou eu querer, nesta altura da minha vida ter alguém? Começar um relacionamento?


Impossível…


Primeiro, porque a minha fonte de paixão parece que simplesmente secou, ou então adormeceu. E depois porque fico verdadeiramente feliz comigo mesma, por ter secado.
Vou eu querer apaixonar-me (mais do que já algum dia me apaixonei por alguém) para sofrer o mesmo ciclo vicioso dos Relacionamentos?


Paixão -> Sonhos -> Esperança -> Acreditar -> Falhar -> The end


E ter de admitir e ter de levar com todo o questionário repetitivo, feito por quem me conhece e por quem conheceu o meu relacionamento?
Não mesmo!
Livrem-me desse sonho traiçoeiro que só nos leva para o mesmo fim.
Posso ser feliz sozinha?

Histeria da reflexão


Coelha*

8 Não reclamas?:

Be free disse...
3 de março de 2010 às 22:00

Estas tuas palavras tocaram-me no coração. Acabei por terminar de ler o teu texto a chorar.

Beijinhos :)

Cherry disse...
3 de março de 2010 às 22:56

Não acredito muito em finais felizes, muito porque funciono à base do "ver para crer" e ainda não foi algo que me aconteceu. Mas também, tenho a vida à frente. Estar sozinha e saber ser feliz sem depender de ninguém? Vénias a isso, muitas vénias!

Mas um relacionamento é muito mais do que um ciclo vicioso. Reduzi-lo a isso é esquecermo-nos do quanto nos sentimos vivas e diferentes quando temos alguém. É preciso lembrarmo-nos do que é a paixao, do que é ter sonhos, esperança e acreditar. (Repara que o teu ciclo tem mais positivos que negativos). E a verdade é que nunca se sabe quando irá acabar de forma diferente...

"É preciso beijar muito sapo para encontrar o princípe".

E de qualquer forma, as pessoas crescem, mudam, evoluem e aprendem numa relaçao (sobretudo com os erros). Vale sempre a pena.

Só Avulso disse...
3 de março de 2010 às 23:00

Sozinha ou acompanhada o que importa é ser feliz.

Vais ver que um dia destes o amor vem de mansinho se enrolar de novo dentro do teu coração e aí não tenhas medo. O medo é o inimigo número 1 da felicidade.

Agora minha rica amiga Coelha ninguém quer que vás para freira...lol (brincadeirinha) ;)

beijinhos amiga ***

marie disse...
3 de março de 2010 às 23:06

Se és feliz agora porque não?
Só acho que o ser humano a determinada altura fica carente e precisa muito de ter alguem a quem dar carinho, e receber tambem. E vivemos sempre desilusões, nunca sabemos quando vai dar mesmo certo. É uma questao de arriscar... :)

Nao sei se já disse mas adoro a musica xD MESMO!!!!

Poeta disse...
4 de março de 2010 às 03:21

Claro que a conversa é fútil, e só quis comprar um minuto e
Querias sentir-te utilizada, eu utilizava pra me sentir útil
(Ahh) Esta jaula tinha aquele cinzento desmotivador mas até no fim
Tu tentaste com a persistência que tornou mágico este Cubo de Rubik
Cobri-te a TV prá cara, máquina laranja pela ferrugem
Estive parado demasiado tempo, tá na hora de dizer adeus às nuvens
Poucos assumem que vão os tempos de sonhar alto e voar baixo
Sentado relaxo, nestas eternas escadas rolantes enquanto me desfaço
Tentei não tenho mais espaço prá última lâmina na garganta
Eu não tenho cordas vocais e esta é a única voz que sangra
O meu nome escreve-se com N de "não chores", de "não adianta"
E de "nunca tentes investir demasiadas emoções numa planta"
Eu deixei-te plantada antes que te tornasses na trepadeira
Que foi consumida pela cegueira porque escolheu não ver as fronteiras
Eu organizei o meu espaço, tu tens de organizar umas ideias
E de caminho arranja um espaço teu, organiza-o e leva as teias

Tentei mas não tem espaço... Eu não posso dar mais passos...
Cada vez mais complica viver aqui dentro mas tá-se.

Desfaço-me e não sou o único... Eu vou, mas tu vens comigo...
Até ver qual de nós dois vai conseguir decifrar este Cubo de Rubik.

Só porque a noite se prolonga, isto.. claro que admitir a derrota é triste
Eu insisto e insistes "Quem é que se foca nisto?!" E quem é sufoca nisto
"Por favor não me toques, ouviste?!" Conseguiste pôr-me entretido
A cuidar do jardim lá fora à chuva só pa não ter de me cruzar contigo
"Nós temos o jardim mais lindo!" Admite - Não sou o teu Mais-que-tudo!
Mas eu sei que sou mais que tu, mesmo quando tou mais baixo que nunca!
Cada vez mais fundo, os nossos alvos não são compatíveis.
Conversas de mentes inversas causam estragos a todos os níveis!
E ontem enquanto dormias contei cinquenta e cinco terríveis maneiras de acabar contigo
Eu sinto-me ridículo, isto não é saudável...
Isto assim não dá, não apetece moldar, e se pudesse voltar, 'tão esquece não dava
Tão perto, tão certo como eu nunca lutar pr'algum fim inalcancável

Tentei mas não tem espaço... Eu não posso dar mais passos...
Cada vez mais complica viver aqui dentro mas tá-se.

Desfaço-me e não sou o único... Eu vou, mas tu vens comigo...
Até ver qual de nós dois vai conseguir decifrar este Cubo de Rubik.

Rosinha disse...
4 de março de 2010 às 11:58

Podes ser feliz sozinha claro! Livre e independente... mas não sei se queres...

Bj linda*
Sê Forte

guida disse...
4 de março de 2010 às 20:09

Só te digo uma coisa Coelha, não temos necessariamente em pensar que tudo falha. Porque isso não é verdade. Tudo tudo, não. Temos medo de sofrer [vi que para ti não é excepção], e doí, doí muito... Mas o relacionamento construí-se à base de coisas e sentimentos bonitos e que valem a pena ser vividos, mas a verdade também é que em que cada um aprende com os erros, com essas falhas, para a próxima sabermos como agir... Não tenhas medo, esses falhanços que falas só te faz mais forte, [deveria supostamente] querer ser melhor e encontrar o melhor.

Um dia vais aperceber isso, vais aperceber que não conseguirás controlar o teu coração [fecha-lo] por muito tempo... E o que tens a fazer é libertar-te e confiar.

Mas por enquanto vive a vida numa forma que te faça sentir bem. E depois acontece o inesperado... não necessitas de estar a procura.

Beijinho muito grande para ti.

PIPI disse...
4 de março de 2010 às 20:59

tens um selinho no meu blog..bjs

Back to Home Back to Top